logotipo-dormenenem

O que é intolerância à lactose?

A intolerância à lactose ocorre devido à incapacidade da mucosa intestinal digerir a lactose que foi ingerida. Esta incapacidade pode ser causada pela ausência ou deficiência na produção da enzima intestinal lactase. Cerca de 75% das pessoas no mundo, à medida que envelhecem, perdem a maior parte da sua capacidade de produzir lactose.

intolerancia a lactose leite de vaca lactase

O que é a lactose e quais os sintomas da sua intolerância?

A lactose é um carboidrato (açúcar) presente no leite e derivados. A lactose não consegue ser utilizada diretamente como substrato energético pelo nosso organismo. No intestino humano existe uma enzima específica, a lactase (β-Galactosidase), que é responsável pela quebra da lactose em pedaços menores (glicose e galactose) que só, então, conseguem ser absorvidos.

Seguindo o trajeto do nosso trato digestivo a lactose chega ao cólon (intestino grosso) e vira alimento para as bactérias que ali estão presentes. Essas bactérias quebram a lactose produzindo gás e uma pequena quantidade de ácido láctico. O gás produzido cria desconforto por distensão intestinal e pelo incômodo problema de flatulência. O ácido láctico produzido pelos microrganismos é osmoticamente ativo e puxa água para o intestino, resultando em diarreia e fezes amolecidas. A pessoa pode ainda sentir dor, desconforto e náuseas. Esses sintomas podem surgir logo após a refeição, ou depois de várias horas.


Com que idade a intolerância à lactose costuma ocorrer?

A intolerância a lactose pode ocorrer em qualquer idade sendo mais comum o seu surgimento na adolescência ou na idade adulta.  É extremamente raro crianças apresentarem intolerância a lactose desde o nascimento. Nelas, a intolerância à lactose torna-se mais comum após os 5 anos de idade.

Tipos de intolerância a lactose


A intolerância à lactose pode ser classificada como primária, quando há um defeito intrínseco da enzima; ou secundária, quando ocorre um dano na mucosa intestinal que acaba levando a falta da mesma.

  • Causas do distúrbio primário:

Deficiência de lactase do tipo adulto: a atividade da enzima lactase diminui progressivamente após o desmame. Esse processo irreversível é determinado geneticamente. Hoje se sabe que uma mutação ocorreu, fazendo com que parte da humanidade conseguisse tolerar leite na idade adulta. A presença de sintomas característicos de intolerância a lactose é que determinam a doença, uma vez que, algumas pessoas apresentam má absorção de lactose e não apresentam sintomas de intolerância à lactose.

Deficiência de lactase congênita: é extremamente rara ocorre em recém-nascidos e caso não for diagnosticada pode levar a morte. O recém-nascido apresenta diarreia líquida ao ser amamentado ou receber fórmulas contendo lactose. A dieta restrita de lactose faz com que os sintomas desapareçam, assim, esses recém-nascidos conseguem apresentar crescimento normal.

Deficiência de lactase do prematuro: no intestino humano, os níveis de lactase são baixos até a 27-32ª semana de gestação, quando se elevam rapidamente, começando a cair por volta dos 5 anos de idade. Os bebês prematuros nascidos com 28 a 32 semanas de gestação tem atividade de lactase reduzida. Quando nascem saudáveis estes prematuros conseguem se prevenir da desnutrição e diarreia recuperando os carboidratos não absorvidos no colón.

  • O distúrbio secundário pode ter como causas: doença celíaca; fibrose cística; desnutrição; retocolite ulcerativa; síndrome do cólon irritável; utilização de drogas, entre outras.


Tratamento da intolerância à lactose

Deve ser feito com acompanhamento de um nutricionista. Inicialmente se recomenda evitar temporariamente leite e produtos lácteos da dieta para se obter remissão dos sintomas. A exclusão total e definitiva da lactose da dieta deve ser evitada, pois pode acarretar prejuízo nutricional de cálcio, fósforo e vitaminas, podendo estar associada com a diminuição da densidade mineral óssea e fraturas.

A maioria das pessoas com intolerância a lactose pode ingerir 12g/dia de lactose (equivalente a um copo de leite) sem apresentar sintomas adversos.

É indicado para estas pessoas o consumo de vegetais de cor verde escura como brócolis, couve, agrião, mostarda, repolho, nabo, peixes que tenham ossos moles como o salmão e sardinhas, mariscos e camarão, que são fontes ricas de cálcio.

Pessoas intolerantes à lactose devem aprender a ler rótulos de alimentos e medicamentos para verificar se há presença de leite e lactose na composição do produto. Alguns produtos também podem apresentar lactose em sua composição mesmo não sendo derivados de leite por isso, fique atento aos rótulos dos produtos!

 

Referências:

Pereira Filho, D.; Furlan, S.. Prevalência de intolerância à lactose em função da faixa etária e do sexo: experiência do Laboratório Dona Francisca, Joinville (SC). Revista Saúde e Ambiente, América do Norte, 526 05 2009.

Costa, Ligia da. Intolerância à lactose: conduta nutricional no cuidado de crianças na primeira infância. 2012


View the discussion thread. blog comments powered by Disqus
Português (Brasil)Español(Spanish Formal International)English (United Kingdom)

Busca Dorme Neném

Arquivo do Blog